domingo, 31 de outubro de 2010

Vagas para Gerentes de Projetos

Pessoal, decidi que também além de conhecimento precisamos de emprego, portanto sempre postarei vagas de emprego em meu blog !

Conflito em Projetos

Por alexandre alamino


É muito comum ouvirmos que os Gerentes de Projeto precisam negociar.
Mas, o que é negociar?
Segundo o Projeto Negociação da Universidade de Harvard, e pelos autores Fischer, Ury, Patton temos a seguinte definição: “Negociar é obter acordo de mútuo interesse e, se houver conflitos, adotarem padrões corretos, sem considerar propostas puramente individuais”.

Ora, pela definição em si de negociação há que existir interesse de todas as partes para se chegar a um ponto convergente. É necessário ouvir e compreender a necessidade da outra parte e, muito provavelmente, abrir mão de alguma coisa para se chegar ao acordo de mútuo interesse.

Seguindo esta linha de raciocínio, tenho percebido ao longo da experiência que muitas vezes existem projetos que acabam por tornarem-se fontes de conflito, o que de alguma forma acaba por gerar uma resistência ao andamento e existência de projetos futuros. Nesses casos normalmente o Gerente de Projetos acaba por ser responsabilizado por fatos em que o controle e o poder de influencia está muito longe dele!

As estruturas que são criadas para acompanharem os projetos (métodos, escritórios, base de conhecimento, etc), em que formato estiverem construídas, servem efetivamente, e muito bem, para definirem, colherem, organizarem e apresentarem as INFORMAÇÕES pertinentes ao projeto.

Na minha percepção existe uma lacuna na efetividade da comunicação, que acaba por gerar o conflito. A existência, a transparência e a divulgação da informação somente não garantem a inexistência de conflitos uma vez que a informação poderá estar a ir contra o interesse ou valor de algum stakeholder do projeto.

E aí cabe uma consideração importante: um detalhamento de escopo ou um status de projeto ou mesmo uma reunião pode não transmitir a percepção para algum dos stakeholders que seus interesses ou valores estejam ali atendidos!

Uma valorização exarcerbada de tecnicismo na condução de um projeto pode causar um conflito!

È importante observar que isso não constitui um erro em si, mesmo porque somos efetivamente treinados e cobrados para obter resultados e a competição em que vivemos acaba por permitir esse comportamento!

Mas aí vêm as reflexões interessantes!

Os modelos de relacionamento colaborativos são os que melhor resultados produzem – Teoria dos Jogos / Dilema do Prisioneiro. Existem estudos que demonstram que a evolução da espécie humana não foi competitiva o tempo todo. Isso nos leva a pensar que as formas de negociação são o caminho mais eficaz para resolução de conflitos em projetos.

Aí então surgem as questões:

Estão os Gerentes de Projetos aptos para negociarem?
São os gerentes de projetos reconhecidos como negociadores?
Os gerentes de projetos possuem das informações necessárias para negociar?

Na minha perspectiva este é um tema que não é percebido sob a ótica adequada nas organizações, de modo geral. Ainda existe uma visão mais técnica que de comunicação na figura do gerente de projetos. Não podemos nos esquecer que o PMbok é um dos que enfatizam que 90% do tempo do gerente de projeto é consumido em comunicação, e o PM é o centro da figura de gerenciamento (nove áreas de conhecimento).

Quando observo um gerente de projeto ser avaliado sob a perspectiva técnica somente, temo estar se alimentando a escalada de conflitos entre áreas que deveriam ter comunicações mais fluidas!

As organizações poderiam obter mais resultados dos gerentes de projetos se buscassem nos profissionais de gerenciamento de projetos um efetivo facilitador de comunicação e negociador.

Os gerentes de projeto se sentiriam mais gratificados se pudessem comunicar mais efetivamente o grande conhecimento e experiência que adquirem no dia a dia dos projetos!

Certamente os conflitos em projetos seriam mais facilmente evitados!

Afinal, um problema técnico é fácil de resolver, chama um especialista que ele resolve. Já um problema de relacionamento...

Teoria das Restrições ?

TOC: Imaginen que você conhece alguém ou processo que seja o GARGALO na operação correspondente e, que as etapas vinculadas (pessoas e ou processos anexos), sejam as restrições. Pergunta: Muitas vezes, falando de forma genérica, trabalhar com sistemas balanceados, é o mais interessante e, digamos, linear e, nesse modelo, a melhor das intenções podem gerar resultados ruins. Desse modo, atuar em um . Assim, nesse caso, o problema é trabalhar com sistemas desbalanceados, ou seja, o uso de restrição. Correto?



Gerenciamento do tempo x Produtividade

Gerenciamento do tempo x Produtividade

Geralmente trabalhamos 8 horas por dia, num total de 40 horas por semana, ou 160 horas por mês. Se multiplicarmos isto por 12 teremos 1920 horas no ano. Não estou considerando férias ou feriados, então esta conta não é exata, mas acredito que posso usar este número mesmo assim para exemplificar.

Durante o dia de trabalho, é comum uma pausa para um café, até mesmo para relaxar um pouco, e dependendo ou até mesmo independente da atividade, esta "paradinha" pode ser (vejam bem.. eu disse pode ser) realmente importante e produtiva.

Mas se voce considerar a quantidade de horas acumuladas nestas "paradinhas", talvez voce tenha uma surpresa. Por exemplo:
2 "paradinhas" no dia de 15 minutos = 30 minutos por dia = 2 horas e 30 minutos por semana = 10 horas por mes = 120 horas no ano. Praticamente 3 semanas inteiras de "paradinhas".

Não estou aqui defendendo o fim das paradinhas (parece comentário esportivo sobre as paradinhas nas cobranças de penaltys) nem tampouco incentivando que elas continuem ou aumentem, estou apenas mostrando pequenos números, que a principio parecem ser insignificantes, mas se somados, podem ter um grande impacto positivo ou negativo na sua produtividade, isto depende de voce.

[]´s
por Samir Murad

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

MBA ou PMP ?

Contribuição de meu colega Danilo Veloso (danilovelloso@hotmail.com)

MBA ou PMP – Falso dilema!!!

Recentemente, tanto nos meios acadêmicos quanto no mercado especializado, vejo surgirem discussões sobre qual é o profissional mais habilitado: aquele que detém um título de MBA ou aquele certificado PMP. Tendências existem e prós e contras ora pendem para um, ora pendem para outro, oscilando conforme as necessidades do mercado empresarial.

O que escapa a compreensão dos que defendem um ou outro ponto de vista é que o profissional ideal, preparado para as novas exigências é justamente aquele que não se contenta em escolher entre um caminho ou outro. É aquele que enxerga cada uma dessas esferas dentro de suas devidas especificidades e compreende que são coisas diferentes, porém complementares.

Em relação ao MBA, o desafio é discutir em fórum privilegiado desde questões fundamentais e conceituais sobre gestão de projetos até a práxis e os mecanismos de funcionamento concreto, já que neste âmbito conta-se com a contribuição e com a experiência de outros profissionais em busca de especialização e know-how (note-se que me refiro a cursos sérios, reconhecidos e de qualidade).

Já a certificação PMP é o resultado de um processo com um objetivo mais direcionado e especifico, cuja proposta é atestar que o profissional em questão tem experiência em gerenciamento – requisito básico para a certificação – e conhecimentos do PMBoK, cujo guia baseia-se em melhores práticas na área.

Podemos resumir da seguinte forma:

- Os cursos MBA em gestão de projetos se propõem a preparar, reciclando conhecimentos com suporte de professores que são profissionais de mercado.

- O PMI objetiva certificar profissionais que apresentem credenciais e mantenham a busca de conhecimento, continuando a acumular experiênciais.

O que deve ficar claro é : o profissional com acumulo de conhecimento e experiências sempre foi a busca do mundo corporativo, mas isto só é possível através de um processo continuo de aprendizagem, troca de informações e exercício do conhecimento.

Não farei aqui juízo de valor se um profissional prática a gestão de projetos da forma correta, pois isto é objeto de outra ampla discussão, mas pretendi apresentar uma visão do que acomete o mercado de gerenciamento de projetos com uma conclusão simples.

Danilo Velloso (danilovelloso@hotmail.com)

domingo, 24 de outubro de 2010

Nelson Rosamilha: Gerentes de Projetos - O desafio da preparação do ...

Nelson Rosamilha: Gerentes de Projetos - O desafio da preparação do ...: "Colegas, queria compartilhar como vocês uma visão pessoal sobre os nossos colegas gerentes de projetos a qual irá causar grande discussão......"

Gerentes de Projetos - O desafio da preparação do profissional

Colegas, queria compartilhar como vocês uma visão pessoal sobre os nossos colegas gerentes de projetos a qual irá causar grande discussão...

1) Os GPs certificados que se dizem PMP como EU, estão realmente preparados para o desafio ?

Questoes:

1) Sabem identificar e gerir caminho crítico do projeto ?
2) Sabem fazer um correto planejamento financeiro ?
3) Tem capacidade de fazer um staffing plan ?

O que tenho visto nos últimos 4 meses me preocupa, PMPs que não sabem gerir riscos, cronogram e fazer um relatorio de status....

Gostaria de ouvir de voces ...experiencias e recomendações... Quem sabe ao final possamos escrever um artigo sobre o tema:

"Como gerentes de projetos devem gerir os projetos..."

Gestão de Projetos e Pneus – Água e Óleo?

Gestão de Projetos e Pneus – Água e Óleo?   Por Márcio Oliveira Budini Um dos maiores desafios hoje nas empresas de transporte que u...