Pular para o conteúdo principal

Ferramenta de Qualidade - Diagrama de Afinidade

Diagrama de Afinidade



O diagrama de afinidade organiza um grande número de idéias em suas relações naturais, este método explora a criatividade de uma equipe e intuição e, foi criado  em 1960 pelo japonês Jiro Kawakita antropólogo. 
O diagrama de afinidade é usado para organizar em  grupos um grande número de idéias, opiniões, ou  preocupações relativas a determinado tópico, esta ferramenta é utilizada normalmente  na fase de planejamento da qualidade com o objetivo de se conhecer o problema por meio da organização das idéias.
 O processo se destina a estimular a criatividade e a participação total. Ele funciona melhor com grupos de tamanho limitado (é recomendado, no máximo, oito participantes), onde as pessoas estão acostumadas a trabalhar juntas. Esta ferramenta é usada freqüentemente para  organizar as idéias geradas por brainstorming.


Resumindo:


Para se construir o Diagrama de Afinidade, devemos pensar no problema em questão, suas causas e, posteriormente separar estas causas em categorias, através de afinidades. É originado pelo Brainstorming e torna-se um complemento do Ishikawa, porém com aplicações mais amplas (por exemplo, o que pode ser importante na qualidade de um aparelho celular? Cada envolvido dirá o que considera importante, posteriormente estes itens serão separados por categorias e esta separação ocorre pela afinidade dos itens levantados). 




Quando usar um Diagrama de Afinidade ?


  • Quando você se depara com muitos fatos ou idéias em aparente caos..
  • Quando questões parecem grandes e complexas para compreensão.
  • Quando o consenso do grupo é necessário
  • Depois de um exercício de reflexão
  • Ao analisar os dados verbais, tais como resultados da pesquisa.
  • Fornecer suporte para inovação de conceitos tradicionais
  • Organizar as idéias resultantes de algum processo de avaliação, como na auditoria da qualidade;
  • Planejar a coleta de dados para futura Estratificação

Roteiro para construção:

  1. Gerar os dados para construção do diagrama de afinidades
  2. Espalhe os dados resultantes sobre a mesa, de modo que todos possam vê-los
  3. Forme grupos de dados, contendo no máximo 5, com alguma característica comum.
  4. Identifique cada grupo pela característica comum de agrupamento e registre-a no cartão título, que deverá ter alguma marca, para diferenciá-lo dos cartões de dados.
  5. Prenda cada grupo ao seu cartão título, de modo que apenas que apenas este último esteja visível.
  6. Repita os passos 3, 4, 5 usando os cartões título como cartões dados.
  7. Repita os passos, 3, 4, 5 para cada novo conjunto de cartões título criados, até que você tenha, apenas, um grupo contendo no máximo 5 cartões títulos.
  8. Comece a construção do diagrama pelos pequenos grupos iniciais; construa um retângulo envolvendo cada grupo.
  9. Sobre o lado superior do retângulo coloque o cartão título do grupo
  10. Envolva, com um retângulo, os retângulos cujo título forma um grupo

Fica aqui a dica: Para manipular com eficiência diagramas de afinidades a Microsoft Office Labs oferece gratuitamente o software StickySorter, bastante útil para profissionais, estudantes e qualquer um que queira estimular o processo criativo em busca de soluções para problemas. (http://www.microsoft.com/portugal/educacao/suiteaprendizagem/stickySorter.html)

Exemplo de um diagrama de Afinidade






Postagens mais visitadas deste blog

Os Gurus da Qualidade - Feigenbaum

Os Gurus da Qualidade - Feigenbaum

Juran, Deming, Crosby, Feigenbaum e Ishikawa constam de um seleto grupo de especialistas na área de gerenciamento, são considerados os maiores gurus – ou mestres da qualidade em nível mundial. Estes autores, verdadeiros missionários da Qualidade, têm percorrido o mundo orientando as empresas sobre o melhor método de administrar a qualidade. O que aconteceu na área administrativa/ organizacional por Taylor, Fayol, Mayo, Maslow, McGregor, Herzberg e outros também se repetem na área da Qualidade.No entanto, é preciso destacar que é muito provável que quase nada do que tem acontecido no campo inovador da Qualidade seria possível se não tivesse ocorrido à tarefa árdua, persistente e critica dos pesquisadores das diversas Teorias Administrativas.



Armand Feigenbaum


Feigenbaum é o Criador do TQC: Total Quality Control – a proposta de um sistema eficiente para integrar o desenvolvimento, manutenção e aprimoramento da Qualidade através de esforços dos vários grup…

Os Gurus da Qualidade - Philip Crosby

Os Gurus da Qualidade - Philip Crosby

Juran, Deming, Crosby, Feigenbaum e Ishikawa constam de um seleto grupo de especialistas na área de gerenciamento, são considerados os maiores gurus –ou mestres da qualidade em nível mundial. Estes autores, verdadeiros missionários da Qualidade, têm percorrido o mundo orientando as empresas sobre o melhor método de administrar a qualidade. O que aconteceu na área administrativa/ organizacional por Taylor, Fayol, Mayo, Maslow, McGregor, Herzberg e outros também se repetem na área da Qualidade.
No entanto, é preciso destacar que é muito provável que quase nada do que tem acontecido no campo inovador da Qualidade seria possível se não tivesse ocorrido à tarefa árdua, persistente e critica dos pesquisadores das diversas Teorias Administrativas.

Philip Crosby é certamente a pessoa mais associada com a idéia de defeito zero e com a abordagem centrada nos custos da (não)Qualidade. Crosby está associado com o conceito de Zero Defeito, criada por ele em 1961.…

Os Gurus da Qualidade - Kaoru Ishikawa

Os Gurus da Qualidade - Kaoru Ishikawa

Juran, Deming, Crosby, Feigenbaum e Ishikawa constam de um seleto grupo de especialistas na área de gerenciamento, são considerados os maiores gurus – ou mestres da qualidade em nível mundial. Estes autores, verdadeiros missionários da Qualidade, têm percorrido o mundo orientando as empresas sobre o melhor método de administrar a qualidade. O que aconteceu na área administrativa/ organizacional por Taylor, Fayol, Mayo, Maslow, McGregor, Herzberg e outros também se repetem na área da Qualidade.
No entanto, é preciso destacar que é muito provável que quase nada do que tem acontecido no campo inovador da Qualidade seria possível se não tivesse ocorrido à tarefa árdua, persistente e critica dos pesquisadores das diversas Teorias Administrativas.
As sete ferramentas básicas de Ishikawa são: Gráfico de Pareto, Diagrama de Causa e Efeito, Histograma, Folhas de Verificação, Gráficos de Dispersão, Fluxogramas e Cartas de Controle.Kaoru Ishikawa
Kaoru Ishikawa…