quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Técnicas de Criatividade - Brainwriting


 criatividade é uma qualificação e não somente um talento de seu colega de trabalho, como algum treino voce também será capaz de possuir tal capacidade  uma qualificação essêncial necessária para as empresas. Mas lembre-se, a existência de cultura organizacional que incentive a criatividade é base do processo criativo e, para isso, há que ensinar as pessoas a utilizar as suas capacidades, recompensar a criatividade e usar técnicas de geração de ideias em grupo.
Ensinar as pessoas a serem criativas implica a utilização,na prática, de diversas técnicas, como as apresentadas neste post e, no post que escrevi sobre a técnica SCAMPERA maioria de nós já conhecemos e nos utilizamos de técnicas de Brainstorming, neste post eu vou escrever a respeito de seu irmão silencioso chamado Brainwriting 


Brainwriting

Também conhecida como Método 6-3-5, desenvolvida pelo professora alemão Bernd Rohrbach, tem como alvo gerar 108 idéias em apenas meia hora. Assim como o Brainstorming, a qualidade das ideias, pelo menos no início do processo, não é o mais importante.

Ela tem como função principal a retirada da interação oral do grupo,  ao invés de falar as ideias, os participantes as escrevem, porque ?

O princípio por trás do Brainstorming de que se deve jogar ideias sem julgá-las simplesmente não acontece no mundo real, as pessoas já estão influenciadas antes mesmo da pessoa abrir a boca:

- “esse cara só fala besteira”,
- “essa menina nem formada é, o que ela sabe?” 
- "iiii vaiajando na maionese......e por aí vai...

Falar o que vem à mente nunca é inteligente, por isto acho interessantes que estas idéias passem por um filtro antes e, em silêncio.

Neste cenário o Brainwriting trás as seguintes vantagens:
  • Nenhum membro da equipe é sujeito a avaliações críticas de suas ideias enquanto está executando a técnica.
  • Elimina a possibilidade de o líder do grupo favorecer determinados participantes mais ativos e extrovertidos. 
  • os membros da equipe podem ter ideias simultaneamente e são incentivados a desenvolver as ideias geradas por outros participantes.

Segundo Robson Selene e Humberto Stadler, a técnica do Brainwriting:

“Permite que todos, sem qualquer favorecimento, possam expressar suas ideias no papel, evitando constrangimentos por aqueles que se destacam (ou não) diante dos outros”.


As principais fases desta técnica são as seguintes: 

  1. Identificação do tema central por parte do líder da sessão - A qualidade da questão deve ser feita de maneira muito bem elaborada e entendida por todos como consequência as respostas serão mais eficazes. 
  2. Os participantes, sentados numa sala, escrevem individualmente as suas ideias durante cerca de cinco minutostodas as pessoas podem ter ideias simultaneamente e são incentivadas a desenvolver as ideias geradas pelos outros participantes, inclusive os introvertidos.Cada participante deve escrever, em um tempo igual ou inferior a cinco minutos, três ideias pertinentes à sua demanda.
  3. Cada participante passa a sua folha de papel à pessoa sentada ao seu lado, que acrescentará as suas próprias ideias, durante mais cinco minutos -  Este processo pode repetir-se diversas vezes mas, geralmente, três passagens são suficientes. Ao longo do processo, os participantes são encorajados a elaborar as ideias dos demais e, a fim de estimular suas próprias, devem ler os registros de todos os outros.Entretanto, vale ser dito que esse é o conceito original da técnica. Logo, o número de participantes, do tempo para o registro das ideias, bem como a quantidade de rodadas, podem ser modificados de modo a se encaixar à realidade da empresa, pessoal ou demanda.
  4. O líder da sessão recolhe os papéis e lê as ideias ou escreve-as num quadro. 
  5. O grupo discute em conjunto cada uma das ideias e avalia-as, reunindo as melhores e eliminando as que são absurdas ou impraticáveis.

Repetindo o que disse anteriormente  depois de seis rodadas em 30 minutos de atividade, o grupo alcança o objetivo fundamental do Brainwriting – 108 novas ideias.


Importante !


Os estudos da Leigh Thompson mostrou que dessa maneira, grupos que exercitaram a técnica de Brainwriting  obtiveram 20% mais ideias e 42% mais ideias originais do que o método tradicional de Brainstorming, 

Pense e Fale ! 



No seu livro “Creativity Conspiracy”, ela fala que se surpreendeu por não achar uma única pesquisa em que o velho Brainstorming se saísse mais eficiente que o Brainwriting  .










O IfM (Institute for Manufacturing) da Universidade de Cambridge, adverte que para a boa prática dessa técnica o  moderador deve:
  • Permitir a comunicação verbal apenas entre os ciclos escritos;
  • Procurar ser o mais visual possível (imagens, figuras, diagramas...);
  • Dar abertura apenas a críticas construtivas;
  • Estimular o desdobramento das ideias entendidas como mais promissoras por meio das mais simples.

Referências:

IFM. Brain writing (6-3-5). University of Cambridge. Disponível em <http://www2.ifm.eng.cam.ac.uk/dmg/tools/project/brainwrite.html>
SELENE, Robson; STADLER, Humberto. Controle da qualidade: as ferramentas essenciais. Curitiba: Ibpex, 2008.


Curta a página de Excelência Operacional e Gestão de Projetos no Facebook, clicando em:http://www.facebook.com/nelsonrosamilha, e, siga-me no twitter:nelsonrosamilha (vagas e frases de gestão)

BOM USO !

Nelson Rosamilha,PMP®,BB®,Prince 2 Practitioner®
rosamilha@gmail.com
Twitter: nelsonrosamilha
http://br.linkedin.com/in/rosamilha

Gestão de Projetos e Pneus – Água e Óleo?

Gestão de Projetos e Pneus – Água e Óleo?   Por Márcio Oliveira Budini Um dos maiores desafios hoje nas empresas de transporte que u...